27 de abr de 2008

Ubuntu 8.4 Hardy Heron ou Vista Business no HP dv2260br


Comecei a muito tempo atrás um rascunho sobre a instalação e o uso do Ubuntu no meu ex-notebook, um HP dv2260br.
Em razão dos compromissos diários não consegui terminar o post e troquei meu pc por outro.

Mas, para ficar o registro, aproveitando algumas anotações que já havia feito sobre o assunto, vou concluir a postagem, que não será um tutorial, mas somente algumas dicas.

Inicialmente, o HP dv2260br vem com o Windows Vista Business (32-bits) instalado. O sistema ocupa quase a totalidade do disco, sendo que pouco mais de 4GB formam uma partição de recuperação.
Meu problema, com relação ao sistema e ao pacote oferecido pela Hewlett-Packard foram três:
1) a configuração do notebook é relativamente boa (Intel Core 2 Duo de 1,73Ghz e 2GB de memória) para rodar aplicações como, no meu caso, OpenOffice, Gimp, Firefox, VLC. Ocorre que, com o Windows Vista, parecia que algo estava errado, mesmo com otimazações (mantendo as firulas gráficas (leia-se: Aero)) a inicialização era lenta, assim como a inicialização dos programas, parecendo que os softwares não correspondiam a capacidade do equipamento;
2) o conjunto de bloatwares empurrados pela HP com a máquina (aqueles programas chatos que se acham importantes a ponto de serem pré-carregados com a inicialização do sistema) tornaram as coisas ainda piores;
3) já tentou copiar um arquivo no Vista??? eu tentei e não desejo essa experiência para ninguém, parece uma eternidade tentar copiar um arquivo com mais de 1GB de tamanho.

Esperei pelo lançamento do SP1, o qual em nada contribuiu para minha experiência, razão pela qual, parti para o contra-ataque e instalei o Ubuntu Hardy Heron.

Usei um disco de boot com o gparted para reparticionar o disco. Primeiro redimensionei a partição do Windows Vista (que iria manter para situações adversas), deletei a partição de recuperação (pois já havia pedido o disco de recuperação para a HP) e, após, rodei o disco do Ubuntu 8.04 (64-bits).

A instalação é muito fácil, não requer nenhum esforço do usuário. Basta googlear que existem diversos tutoriais de instalação do Ubuntu (e outras distros).

Após a instalação, apliquei algumas modificações (e essa parte fazia parte do rascunho que tinha sobre o assunto), as quais seguem abaixo:

1) configurar a transparência das bordas da janela, para deixar com o estilo do Windows Vista, siga os seguintes passos que encontrei nesse site:
- Abra o editor de configuração do Gnome: gconf-editor
- Procure pela pasta Apps > gwd
- No painel da direita procure pela entrada metacity-theme-active-opacity
- Clicando na referida entrada, você poderá modificar o valor para qualquer um que desejar, lembrando que 1.0 é opaco, 0.5 é meio transparente, assim por diante.
2) diminuir os "ticks" do Hard Disk
Após a instalação do Ubuntu Hardy Heron reparei meu HD insistia em emitir um chato "tick", fui procurar informações a respeito e localizei diversos registros sobre um suposto bug que diminuiria drasticamente a vida útil do disco rígido (vide links 1, 2, 3), tentei um script que encontrei em outro endereço, mas o problema permaneceu.
A solução foi desinstalar o laptop-mode-tools (via Synaptic) e reiniciar o notebook.
Depois desse procedimento, o HD não chiou mais.
3) configurar a tecla SUPER (para usar com o Compiz)
A tecla Super foi outro desafio, primeiro porque eu não sabia do que se tratava, segundo porque alguns atalhos do Compiz utilizavam essa tecla.
Novamente o São Google providenciou as respostas que precisava:
Para a primeira pergunda - o quê é a tecla super - descobri que se trata da tecla com o símbolo do Windows no teclado (aquela entre o Ctrl e o Alt do lado esquerdo do teclado).
Para a segunda, bastou seguir um tutorial que encontrei, pelo qual basta editar o arquivo xmodmap.br pelo comando: bash:~$ gksudo gedit /usr/share/xmodmap/xmodmap.br para que fique exatamente assim e pronto!
Fiz outras coisinhas mais, contudo o mais chato de encontrar foi o que listei acima.
No fim das contas, gostei bastante do Ubuntu, sistema que usei até o fim, apesar de sofrer alguns congelamentos que nunca descobri a causa (acontecia com compiz, vlc rodando video e movimentos rápidos de janelas). Na balança, prefiri o linux ao windows no notebook, principalmente pelo aspecto desempenho.
Por fim, e como havia dito antes, troquei de notebook, segui o lado branco da força, mas isso será objeto de outro post.